Sobre o Festival do Teatro Brasileiro

  • Oficina BandodiPapel

    class="preto"Participante constroi instrumento de papel

    Foto: Talita Oliveira

    Saiba mais
  • Formação

    class="preto"Adolescentes participam de ação de formação no Acre

    Foto: Carlson Felipe

  • Debates

    Debate com o público após o espetáculo Entre Nós

    Foto: Talita Oliveira

    Saiba mais
  • Espetáculos

    Bando de Teatro Olodum apresenta "Áfricas"

    Foto: Talita Oliveira

  • Público

    Família se diverte em "Áfricas", do Bando de Teatro Olodum

    Foto: Talita Oliveira

  • Participação

    Márcio Meirelles, diretor do Cabaré da Rrrrraça, fala com o público após espetáculo

    Foto: Talita Oliveira

    Saiba mais
  • Espetáculos

    Cabaré da Rrrrraça se apresenta para teatro lotado em Rio Branco, AC.

    Foto: Talita Oliveira

    Saiba mais
  • Remendo Remendó

    As crianças também se divertiram no espetáculo Remendó Remendó, em Rio Branco, AC.

    Foto: Talita Oliveira

  • Seu Bomfim

    Solo na peça "Seu Bomfim" emociona o público

    Foto: Talita Oliveira

Conheça

Apresentações teatrais, em palco e rua, Ciclo de Dramaturgos, workshops, residência artística e show de Chico César marcam o XVII Festival do Teatro Brasileiro (FTB) que chega ao Ceará com programação simultânea em Fortaleza e Crato, de 18 a 29 de agosto. Esta edição tem como destaque a Cena Paraibana e acontece este mês também em cidades do Pará (Belém e Marabá). Em setembro chegará ao Espírito Santo (Linhares) e Alagoas (Maceió). Com o patrocínio da Petrobras e programação gratuita em todos os estados, este projeto destaca-se pela abrangência, penetração e respaldo, sendo reconhecido como um dos festivais mais importantes da cena teatral brasileira.

O Festival do Teatro Brasileiro é um projeto de intercâmbio interestadual, singular no país, que a cada edição seleciona espetáculos de diferentes segmentos da produção cênica de um determinado Estado e os apresenta em outras cidades do país. Criado em 1999 em Brasília por Sérgio Bacelar, o FTB surgiu como Mostra de Teatro da Bahia. Na terceira edição, em 2002, assumiu a conotação nacional, mantendo o foco na cena baiana. A partir do ano seguinte, teve cada edição centrada na cena teatral de um estado.

O projeto já contemplou as Cenas Baiana, Pernambucana, Mineira, Cearense, Gaúcha, Paranaense e Cena DF, levando companhias e coletivos teatrais desses estados, para apresentações de seus espetáculos para públicos de outros estados e regiões, promovendo um rico intercâmbio de norte a sul, em um vaivém cênico por capitais e outras cidades de todo o país. O festival já aportou em cidades do Distrito Federal, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Minas Gerais, São Paulo, Paraná, Rio Grande do Sul, Pernambuco, Sergipe, Bahia, Ceará, Maranhão e Acre. Esta é a segunda vez que o FTB acontece no Ceará, que em 2009 recebeu a Cena Baiana, em edição também realizada no Maranhão.

Ao longo de 16 edições o FTB já realizou 631 apresentações de 179 espetáculos selecionados, com público superior a 245 mil espectadores. Um total de 44.900 crianças e jovens da rede pública de ensino participou das atividades educativas e cerca de 2.090 pessoas frequentaram as oficinas. Foram mais de 2.350 empregos temporários gerados até a edição de 2014.

Com inúmeras possibilidades de se mostrar um recorte da produção de um estado em outros cantos do país, o FTB é um projeto modular, que já tem seus objetivos traçados até o ano de 2018. É portanto, um projeto que exerce um importante papel com suas ações de complementação de política de estado.

Cena Paraibana

Os mais representativos grupos e coletivos teatrais da Paraíba estarão nos quatro estados que recebem o XVII FTB, representando um rico intercâmbio das artes cênicas paraibana com público e artistas das cidades que recebem a programação.

Em Fortaleza entram em cena: Coletivo de Teatro Alfenim ("Memórias de um cão" e "Brevidades"), Coletivo Tanz (espetáculo de rua "Terreiro Envergado"), Agitada Gang - Trupe de Atores e Palhaços da Paraíba ("Como nasce um cabra da peste"), Piollin Grupo de Teatro ("Silêncio Total", solo de Luiz Carlos Vasconcelos como palhaço Xuxu) e o Grupo de Theatro Engenho Imaginário ("Zé Lins - O pássaro poeta").

Os 05 (cinco) grupos encenam 06 (seis) espetáculos, somando 09 (nove) apresentações teatrais nos seguintes locais: Teatro Carlos Câmara, Theatro José de Alencar, Cuca Mondubim, Instituto Beatriz e Lauro Fiúza - IBLF, Cuca Barra, Teatro Universitário Paschoal Carlos Magno, Cuca Jangurussu e Anfiteatro do Centro Dragão do Mar.

Na capital cearense haverá ainda show de Chico César na Concha Acústica da UFC, Ciclo de Dramaturgos na Vila das Artes e Workshop de Elaboração de Projetos para Editais no Foyer do Theatro José de Alencar.

Para o Crato seguem: Companhia Oxente ("Anáguas"), Coletivo Ser Tão Teatro (espetáculo de rua "Flor de Macambira") e Grupo Teatro Bicorna ("Esparrela"). As apresentações na cidade da Região Metropolitana do Cariri serão realizadas no Centro Cultural do Araripe (Rffsa), Sesc-Crato e Praça Bicentenário. Um Workshop de Elaboração de Projetos Culturais acontecerá na sede do Grupo de Reisado da Mestra Mazé de Luna.

Ciclo de Dramaturgos

Um dos eixos do festival é o Ciclo de Dramaturgos, que acontecerá simultaneamente em Fortaleza e Crato, de 24 a 28 de agosto, respectivamente na Vila das Artes e na Galeria da Rffsa. Para cada cidade foi escolhido um dramaturgo paraibano para gerir essa troca com dramaturgos cearenses. Sob a coordenação de Sérgio Bacelar, o festival tem sua programação elaborada em parceria com representantes da classe cênica do estado anfitrião.

Para o Ciclo de Dramaturgos em Fortaleza o convidado é Paulo Vieira, dramaturgo, ator, diretor e professor no Departamento de Artes da Universidade Federal da Paraíba (UFPb). No Crato, a atividade terá a participação de Astier Basílio, poeta, ficcionista e dramaturgo jornalista, poeta e dramaturgo pernambucano radicado na Paraíba. Paulo Vieira e Astier vão conversar sobre seus textos, criações, métodos criativos e praticar exercícios com os participantes. Os interessados devem se inscrever por meio do site do FTB.

Elaboração de projetos

No dia 29 de agosto, o FTB realiza em Fortaleza o Workshop de Elaboração de Projetos para Editais, conduzido por Sérgio Bacelar, idealizador e coordenador do Festival. Com base no estudo do IV Edital do Programa Petrobras Distribuidora de Cultura, a atividade tem por objetivo avaliar estratégias de singularidade e competitividade de propostas.

Serão abordados os seguintes eixos: política cultural da Petrobras Distribuidora; avaliação do edital de 2014/2015; singularidade das propostas; competitividade; alinhamento das propostas com as diretrizes das políticas culturais. O workshop contará com a participação de Eliane Coelho, da Gerência de Patrocínio da Petrobras Distribuidora e acontecerá das 9h às 12h o Foyer do Theatro José de Alencar. As inscrições devem ser feitas pelo site do festival.

No Crato, a programação do FTB contará com um Curso de Elaboração de Projetos Culturais, ministrado por Joelmir Pinho, administrador com atuação em áreas como políticas públicas e gestão social. A atividade acontecerá nos dias 22, 23, 28 e 29, das 13h às 17h e nos dias 26 e 27 das 17h às 21h30 na sede do Grupo de Reisado da Mestra Mazé de Luna.

Atividades Pedagógicas no Crato

Um importante eixo do festival é ligado a educação. Visando a sustentabilidade e a formação de novas plateias em cada município, a atividade promoverá um mergulho na peça "Flor de Macambira" - texto de Rosyane Trotta e Ser Tão Teatro, livremente inspirado na obra Coronel de Macambira de Joaquim Cardozo, com a direção de Christina Streva.

Essa atividde de formação de plateia acontecerá em três movimentos, posteriores a seleção e capacitação, de 08 (oito) arte educadores em de 12h de atividades. Em um primeiro momento, os arte educadores farão atividades de 2h/aulas com mais de 800 alunos de escolas públicas, de 11 a 14 anos, aplicando jogos. O objetivo é ampliar os horizontes de percepção. O segundo momento será a apreciação do espetáculo "Flor de Macambira", que o Ser Tão Teatro apresenta especialmente para as escolas nos dias 26 às 15h e 27 às 9h, na Praça Bicentenário. Depois dessa programação, os arte educadores retomam o contato com os alunos para mais 1 aula para mais jogos e avaliações.

Parte desses alunos participará ainda de Cenas Curtas, uma ação de continuidade do projeto. Duas das escolas terão 30h/aula, onde serão transmitidas noções de dramaturgia. Seguidas de atividades de criação de textos cênicos, práticas de jogos e encenação. A ideia é estimular a formação de grupos de teatro nas escolas.