Sobre o Festival do Teatro Brasileiro

  • Oficina BandodiPapel

    class="preto"Participante constroi instrumento de papel

    Foto: Talita Oliveira

    Saiba mais
  • Formação

    class="preto"Adolescentes participam de ação de formação no Acre

    Foto: Carlson Felipe

  • Debates

    Debate com o público após o espetáculo Entre Nós

    Foto: Talita Oliveira

    Saiba mais
  • Espetáculos

    Bando de Teatro Olodum apresenta "Áfricas"

    Foto: Talita Oliveira

  • Público

    Família se diverte em "Áfricas", do Bando de Teatro Olodum

    Foto: Talita Oliveira

  • Participação

    Márcio Meirelles, diretor do Cabaré da Rrrrraça, fala com o público após espetáculo

    Foto: Talita Oliveira

    Saiba mais
  • Espetáculos

    Cabaré da Rrrrraça se apresenta para teatro lotado em Rio Branco, AC.

    Foto: Talita Oliveira

    Saiba mais
  • Remendo Remendó

    As crianças também se divertiram no espetáculo Remendó Remendó, em Rio Branco, AC.

    Foto: Talita Oliveira

  • Seu Bomfim

    Solo na peça "Seu Bomfim" emociona o público

    Foto: Talita Oliveira

Festival do Teatro Brasileiro começa com oficinas e troca de experiências

Apresentações em Maceió começam no dia 11; programação conta com atividades pedagógicas.

Após 16 anos percorrendo o país, Festival do Teatro Brasileiro chega pela primeira vez ao Estado trazendo oito grupos da cena paraibana que se apresentam em diversos espaços da cidade a partir do dia 11 de setembro. Antes disso, o festival promove atividades pedagógicas e incentiva a troca de experiências entre grupos teatrais alagoanos e o Coletivo Alfenim, grupo paraibano que traz a Maceió o espetáculo Milagre Brasileiro (Confira a programação).

As atividades do FTB em Maceió começam oficialmente na segunda-feira (31), no Conjunto Vila dos Pescadores, no bairro do Sobral, onde 15 jovens e adolescentes da comunidade participam das oficinas de grafite ministradas pelo artista Alan Lima. No dia seguinte, tem início o encontro entre o Coletivo Alfenim e integrantes de grupos alagoanos. Na semana que vem, o FTB promove uma segunda oficina na Vila dos Pescadores. Desta vez, 20 jovens da comunidade vão conhecer o processo de criação musical do grupo de Hip Hop Favela Soul.

Todas as atividades do FTB, inclusive as apresentações dos grupos paraibanos e os shows do músico Chico César e do DJ Chico Correia, no dia 19 de setembro, são abertas ao público. Com apoio da Prefeitura de Maceió, por meio da Fundação Municipal de Ação Cultura (FMAC), o FTB integra as comemorações do aniversário de 200 anos da capital alagoana.

Grafite

As Oficinas de Grafite acontecem nos dias 31 e 1º de setembro, das 17h30 às 21h30, e do dia 2 ao dia 4, das 13h às 17h. Escolhido para ministrar a oficina, Alan Lima é uma referência na arte do grafite em Alagoas e há dez anos espalha sua arte pelas galerias especializadas e pelos muros da capital alagoana. O grafiteiro também é disputado pelos atletas alagoanos para personalização de pranchas de surf e skates.

Em seus trabalhos, Alan Lima tem como referências o esporte, a natureza e as cenas urbanas, reproduzindo figuras reais ou simplesmente produzindo criaturas surreais surpreendentes. De acordo com o artista, os ensinamentos que serão passados na oficina visam romper preconceitos relacionados ao grafite, mostrando a arte como forma superação das barreiras sociais e expressão do sentimento dos jovens com relação à realidade que os cerca.

Hip Hop

Entre os dias 7 e 10 de setembro, 20 adolescente da Vila dos Pescadores entram em contato com o grupo Favela Soul para a Oficina de Hip Hop promovida pelo Festival do Teatro Brasileiro. Criado em 201, no bairro do Jacintinho, pelo músico Nando Rozendo, o Favela Soul tem influências de músicos brasileiros consagrados como Sandra de Sá, Tim Maia, Chico Science, Black Alien e bandas nacionais e estrangeiras como O Rappa e Rage Against The Machine. Com cinco anos de estrada, o Favela Soul se prepara para o lançamento de seu primeiro EP, intitulado Solta Esse Black, com cinco faixas inéditas.

Com sua origem em um dos bairros mais sofridos da capital alagoana, o Favela Soul carrega em suas letras o cotidiano da periferia em todos os seus aspectos. Na oficina promovida pelo FTB, Nando Rozendo, Rudson França, Márcio Chaprado e Zezé pretendem mostrar o poder da música no enfrentamento das adversidades e sua força na mudança social e na construção de uma realidade mais digna. A oficina acontece no dia 7, das 13h às 17h, e nos dias 8, 9 e 10, das 17h às 21h.

Residência Artística

Pelo primeiro ano desde sua criação, o Festival do Teatro Brasileiro realiza em Maceió núcleos de Residência Artística destinados a profissionais das artes cênicas e integrantes de grupos teatrais de Alagoas. Os núcleos servirão como espaços para a troca de experiências, discussão sobre vivências práticas e diálogos teóricos com o grupo paraibano Coletivo de Teatro Alfenim.

Cada encontro servirá também um mergulho nas linguagens metodológicas dos trabalhos cênicos adotados por cada grupo, pela busca do trabalho mais profissional dos artistas envolvidos e, paralelo a tudo isso que se concretize em crescimento, sobretudo, pessoal, social e cultural. A Residência Artística acontece no Espaço Cultural, na Praça Sinimbu, do dia 1º ao dia 3 de setembro, das 18h às 22h; nos dias 6 e 7, das 10h às 14h; no dia 13, das 10h às 16h; e do dia 14 ao dia 16, das 18h às 22h.

Espetáculos

O período de apresentações da etapa alagoana do Festival do Teatro Brasileiro começa no dia 11 de setembro, com o espetáculo Silêncio Total, do Piollin Grupo de Teatro. O monólogo é encenado há quase 30 anos pelo ator Luiz Carlos Vasconcelos, que atualmente dá vida ao personagem Bento na novela Além do Tempo, da Rede Globo. A apresentação acontece no Teatro Deodoro, às 20h.

No dia 12, a partir das 18h, o grupo Quem Tem Boca é pra Gritar apresenta o espetáculo de rua Cancão, Malazarte e Trupizupe. A encenação acontece no conjunto residencial Vila dos Pescadores, no bairro do Sobral. Ainda no dia 12, às 20h, no Teatro Jofre Soares, o ator veterano Fernando Teixeira, do Grupo de Teatro Bigorna, apresenta o monólogo Esparrela, um dos espetáculos mais premiados da cena paraibana, em cartaz há mais de 40 anos.

Após uma semana de atividades paralelas, o FTB retoma as apresentações para o público alagoano no dia 17, no Teatro Deodoro, onde a Agitada Gang – Grupo de Atores e Palhaços da Paraíba apresenta Como Nasce um Cabra da Peste. No dia seguinte, às 20h, o Milagre Brasileiro, do Coletivo de Teatro Alfenim, ocupa a Sala Preta do Espaço Cultural, na Praça Sinimbu. No dia 19, o período de apresentações do Festival de Teatro Brasileiro em Maceió será encerrado com o show do músico Chico César, DJ Chico Correia e o espetáculo de dança Nordestinidade, da Companhia de Projeções Folclóricas Raízes, na Praça Multieventos, na orla de Pajuçara, a partir das 18h.

O Festival é apresentado pelo Ministério da Cultura e Petrobras e sua etapa alagoana tem o apoio cultural do SESC, Secretaria de Cultura do Estado da Paraíba, Universidade Federal de Alagoas (Ufal), do Governo do Estado por meio da Diretoria de Teatros de Alagoas (Diteal), e da Prefeitura de Maceió por meio da Secretaria Municipal de Educação (Semed), com a co-realização pela Fundação Municipal de Ação Cultural (FMAC).